8 GRANDES LIÇÕES DOS VIKINGS

0
3810

Você pode achar que o mundo de hoje é bem diferente de quando éramos fazendeiros e guerreiros, reis e pastores de ovelhas, caçadores e coletores de frutas; de quando empunhávamos espadas ao invés de smartphones e controles-remoto. “O mundo mudou”, você pode pensar. Nem tanto quanto supõe, acredite.

No passado, ser ambicioso e ousado significava cortejar a incerteza – e muitas vezes a própria morte – com força, honra e coragem. Naqueles tempos, o método mais seguro para levar uma vida longa e sossegada consistia em cultivar um lar, assumindo o papel de protetor e provedor da sua família. Isso continua sendo verdadeiro e aqueles que fazem a diferença são os mesmos: os corajosos que não se acomodam em observar, mas em AGIR.

Homens ambiciosos sempre arriscaram mais que os não-ambiciosos. Eles buscam mais e erram mais. Na época dos Vikings, esta busca significava empunhar um machado, enfrentar mares bravios, longas marchas e ferimentos potencialmente letais. Para conquistar, eles desafiavam outros com a mesma sede, o mesmo ímpeto, o mesmo sangue nos olhos.

A noção de Ambição pode ter evoluído, mas a sede continua a mesma: dentro da natureza selvagem de cada homem existe um desejo de conquistar. Sim, queremos ajudar e produzir coisas, mas também queremos nos erguer, liderar e lutar, assumir o trono, destituir a injustiça e promover o bem, a prosperidade e a sabedoria.

Entretanto, se fosse transportado para a época e o local dos Vikings, o “homem moderno” seria uma lástima. Não temos corpos diferentes, tampouco cérebros maiores. Recebemos mais conhecimento, apenas isso. Mas nossa resiliência e a dureza de caráter diminuíram para muito além do aceitável. Frente à força e determinação de um Viking, um homem moderno seria o equivalente a uma menininha de 10 anos chorando perdida em um parque.

O terror que sentimos nos impede de viver. O receio do perigo sufocou o espírito aventureiro. O medo assumiu proporções tão gigantescas que passamos a nos proteger o tempo todo, em todos os lugares, de todas as pessoas. Em outras palavras: esquecemos a alma Viking e a substituímos por delicadezas assustadas. Somos fracotes. E, se alguém diz isso na sua cara, você pensa: “Bullying!”.

Apesar de estarmos nesse estágio degradante, não somos um caso perdido. A Força pode ser reconquistada, a “pegada” pode ser reaprendida. Mas recuperá-las exigirá um esforço consciente da sua parte. A sociedade, que deveria PROTEGER e FORTALECER os fracos, criou mecanismos que visam LOUVÁ-LOS e ACOMODÁ-LOS em suas fraquezas, ao mesmo tempo em que tenta vilanizar a FORÇA, emasculando seus homens e confundindo Masculinidade com Machismo. Para reacender o fogo Viking, será necessário desafiar esse novo mundo de molenguices. A tarefa não será fácil ou livre de críticas. Mas valerá cada dia.

Para iniciar essa viagem de transformação, nada como compreender as 8 Grandes Lições que os antigos navegantes nórdicos guardaram para você:

  1. ACEITE A MORTE DE BRAÇOS ABERTOS.

Se a morte não for temida, mas bem-vinda, então não existem limites para os seus objetivos e o que você pode realizar. Os exploradores Vikings se aventuravam em águas misteriosas dispostos a entrar no desconhecido. Nós agora não apenas tememos a morte como também tememos o desconhecido, a dor, o insucesso, o desapontamento e as “mágoas emocionais”.

A expectativa média de vida nunca foi tão longa. Doenças, guerras, mortes violentas pela lâmina de um inimigo nos confins do feudo – todos esses riscos foram diminuídos drasticamente. Curiosamente, mesmo com vidas mais seguras e confiantes de nossa longevidade, vivemos MENOS. Distraídos com as amenidades do mundo, reclamamos mais, nos arrependemos mais.

Deixe de lado as garantias. Você não tem “direito” a uma vida longa e suave. Seus “direitos” são construtos da imaginação coletiva. A Natureza não possui direitos. Apenas leis, forças e destinos. Traga de volta à sua vida essa perspectiva de urgência: cada dia é único. Viva-o com honra e coragem. Se não fosse a morte, você jamais poderia experimentar a plenitude da vida. A morte é sua melhor amiga. Não a procure com imprudências, mas aceite-a com dignidade.

  1. FORÇA FÍSICA E FORÇA MENTAL SÃO A MESMA COISA.

Treine como se você estivesse treinando para uma guerra. Isso inclui mais do que definir seu abdome ou ter um bíceps de 40 cm. Torne-se fisicamente capaz e mentalmente invencível. Cale a voz dentro de você que insiste em sussurrar “Desista… chega… vamos deitar no sofá”. Numa guerra, a preguiça seria o caminho mais curto para a derrota.

Condicionamento físico e mental significa ser capaz de ir além do desconforto, além da dor, além daquele limite onde sua mente diz “Basta! Já deu!”. Se existe um objetivo, não pare porque cansou: descanse quando o alcançar.

  1. FAÇA O QUE NÃO PODE SER FEITO.

Para uma comunidade tão pequena, incrustada em fiordes gelados, os Vikings foram longe, muito longe. Existem vestígios de assentamentos nórdicos na Groenlândia, no Canadá e no norte dos Estados Unidos por volta do ano 1.000 DC. E eles chegaram lá sem bússola, sem GPS, sem analgésicos ou antibióticos. Eles fizeram o que parecia impossível, mas, como cultura, não era assim que encaravam as coisas.

Você se consola dizendo que “irá tentar fazer algo”. Tentar? Tentar nunca foi o bastante. O oceano não irá enviar ondas menores em respeito à sua tentativa, a morte não irá lhe poupar e seus inimigos irão desistir do combate porque você “tentou”. Tentar é para os fracos. Sua tarefa não é tentar: sua tarefa é utilizar ideais elevados para definir quem você é, o que você quer, e FAZER ACONTECER.

  1. COMA O QUE A TERRA LHE OFERECE.

Nossa alimentação é uma bagunça. A ciência diz isso, a ciência diz aquilo, coma isso, não coma, aumente a ingestão, diminua o consumo, etc. Uma piada. Esqueça essa merda toda. Simplesmente coma o que a terra lhe oferece – ou seja: carnes, frutas e outros vegetais. Isso parecia funcionar muito bem para os Vikings, e nossos órgãos e intestinos não mudaram muito desde então. Deixe as comidas processadas e os pacotes de chips para as crianças.

  1. SEU DESTINO ESTÁ SELADO.

Não se preocupe em como você irá morrer – isto já está escrito. Pelo menos era assim que os Vikings pensavam. E por que não acreditar que a vida seja assim de fato? Em grande parte, não temos controle algum sobre o modo como iremos morrer, então porque investir tanta energia preocupando-se com a morte?

Por que não assumir riscos profissionais, ou no amor, ou fazendo aventuras? Que diferença faz se aquela gata irá dizer “sim, quero conhecer você!” ou “não, vá embora!”? Qual a diferença entre dar com os burros n´água em um empreendimento ou morrer em uma aventura épica? Viva como se o seu destino estivesse selado. O medo não beneficia o homem – ele apenas impede você de ter uma vida grandiosa.

  1. CLIMAS DIFÍCEIS FAZEM HOMENS FORTES.

Os Vikings viviam em um clima inóspito. A agricultura era penosa e a sobrevivência, uma luta. Mas as intempéries não os enfraqueciam. Pelo contrário: as dificuldades extremas selecionavam os mais capazes, e assim eles prosperaram.

Você não precisa viver no Mar do Norte ou enfrentar vagas de 30 metros em um barco a remo para viver um clima desafiador. Seu “clima” pode ser seu trabalho ou sua vida em família. Para para desenvolver a resistência Viking, vá pelas escadas, malhe nos dias frios, não fuja das responsabilidades desconfortáveis, não escape dos confrontos nos relacionamentos, não procrastine o que lhe incomoda – a prática da determinação irá lhe deixar mais forte a cada dia.

  1. SIMPLIFIQUE.

Há algum tempo, quando namorava a ideia de comprar um veleiro, deparei com um acrônimo frequentemente citado pelos velejadores mais experientes: K.I.S.S.(Keep It Stupidly Simple). Traduzindo: mantenha as coisas estupidamente simples. Um navegador Viking era capaz de empregar esse acrônimo com maestria invejável.

Simplificar a vida tem se tornado uma tarefa mais complicada, mas não é impossível. Tudo tem a ver com FOCO. Se você está velejando, está velejando – e não enviando emails ou lendo. Se você está plantando, plante. Se está trabalhando, trabalhe! Se está lutando, lute! Não disperse sua atenção: simplifique-a impondo um foco.

Ser “multitarefa” é um mito bastante difundido pelas pessoas que dizem fazer tudo ao mesmo tempo e terminam o dia sem terem feito coisa alguma relevante.

  1. SIGA SUA AMBIÇÃO!

A ambição é um chamado da sua alma. É a voz dentro de você que diz para onde sua vida deveria ir. Para alguns grandes Vikings, significava explorar novas terras e conquistar reinos. Para nós, significa um infinito de possibilidades.

Mas, infelizmente, vivemos neste mundo de fraquezas onde a ambição foi rotulada como um sentimento egoísta por pessoas que não a possuem. Essas pessoas parecem não enxergar que TODO SEU MUNDO é fruto de projetos ambiciosos: avanços médico e tecnológicos não aconteceram por mero acaso. Foi a ambição que colocou água na sua torneira, energia elétrica na sua casa e um celular na sua mão.

A ambição deu forma ao mundo. Quando um bom homem combina sua ambição com ações e honra, o mundo todo se beneficia. Está na natureza de um Homem querer ser melhor e há nada de errado com isso. Então vá em frente, conquiste, coloque-se à altura de suas forças, persiga seus sonhos, SEJA AMBICIOSO e alcance o lugar onde você poderá deixar sua marca neste lugar magnífico que chamamos de Vida.

Deixe uma resposta