VOCÊ COMPREENDE OS MEDOS FEMININOS?

0
361

Qualquer debate sobre Masculinidade JAMAIS pode excluir o universo da feminilidade. Não digo que 100% das coisas que você faz sejam por causa delas, ou por causa do sexo que elas oferecem, ou para chegar mais perto do conteúdo perfeito daquele biquíni, ou para extrair qualquer forma de prazer no contato com uma mulher, ou…

Ok. Vamos admitir então que mais ou menos 90% das coisas que você faz sejam de alguma maneira motivadas por expectativas junto às portadoras de cromosomos XX. Por mais que neguemos, muitas de nossas atitudes vão por essa estrada aí mesmo.

Por isso, considerar alguns aspectos do universo feminino é essencial para que você compreenda o seu próprio EU masculino, evitando as armadilhas mais tolas ao se meter em um relacionamento.

De todas essas arapucas, nenhuma é mais impactatnte que saber que TODA mulher tem um sem-número de medos ao se relacionar com um homem. O receio de ser vítima de violência é o primeiro e mais forte desses medos, mas não é único.

No primeiro encontro, ela olha para você por 2 segundos e pensa: “Nossos sobrenomes combinam? Será que ele vai ser fiel? Protetor? Seguro? Ele seria um bom provedor? Ou irá me ver como uma mãe-substituta, se comportar como uma criança mimada e fugir das responsabilidades?”. Ela tece todas essas considerações e muitas outras enquanto você ainda está na altura do decote e nem pensou no que vai pedir para beber.

Quando o relacionamento engata, as coisas podem piorar – e com uma frequência científica elas pioram. O homem em um relaciomento tem um receio enorme de ser visto como fraco pela sua fêmea, pois cedeu ao compromisso. Permitiu-se capturar. A saída mais rápida que ele encontra para mostrar que é um “ogro durão” é esconder seus sentimentos, e isso apenas piora os medos dela.

Compreender as inseguranças femininas lhe dá controle para agir ao invés de reagir. Ser o Homem na relação irá exigir que você, vez ou outra, demonstre seus sentimentos e preocupações. O segredo é fazer isso de modo saudável e maduro, aprofundando laços e diminuindo o medo infundado.

Esta compreensão dos medos femininos é especialmente importante nos momentos de crise. Quando o bicho pega e o caldo entorna, é tentador se fechar e deixá-la falando sozinha. Uma discussão é o momento mais vulnerável do relacionamento e, por isso mesmo, é a melhor hora para você se mostrar capaz de navegar pela confusão da insegurança dela, sem perder o controle, sem elevar desnecessariamente o tom de voz e sem ficar ameaçando deixá-la. No auge da crise, você pode (e deve) comunicá-la como você se sente como um Homem, ao invés de reagir como um menino de quem roubaram a chupeta.

Mas comportar-se de modo masculino não é algo que você deva fazer apenas nos momentos mais tensos. Pelo contrário: solidificar a confiança que você inspira deve ser um trabalho diário. Sua mulher anseia saber se pode contar com você nas pequenas e nas grandes coisas. É garantindo um padrão de resposta constante nas pequenas coisas que você comunicará a ela que ocê é confiável nas grandes questões que envolvem ambos.

As pequenas coisas incluem demonstrar ambição no seu trabalho, manter as finanças em dia, garantir um fundo reserva, não furar nas promessas, lembrar as datas importantes, planejar uma agenda mútua e cuidar de sua própria saúde física – entre outros. Sendo consistente nestes quesitos, você terá muito menos problemas com as consequências dos medos imbecis dela.

Nas sociedades antigas, os homens protegiam suas famílias de predadores, de tribos inimigas e de outros perigos. Eles eram um escudo de segurança sob o qual seus entes queridos podiam conviver de modo mais relaxado e sereno, sabendo que havia um Homem cuidando deles.

Aceitar a existência inevitável dos medos femininos – tantos os racionais (se é que existem) quanto os irracionais – lhe devolve o papel de Protetor e Provedor da família, evitando que você abra mão de sua sua masculinidade em nome de uma batalha infantil por “quem está com a razão”.

As mulheres querem um homem em quem possam confiar. Um Homem com quem se sintam à vontade para baixar a guarda emocional e fisicamente. Elas querem ter a certeza de que podem se desfazer em lágrimas e fragilidades, mas que seu Homem estará sempre lá para ampará-las, sereno, firme e forte.

Ser um homem significa construir um espaço onde sua mulher pode – dentro da profusão de inseguranças que caracterizam o universo feminino – encontrar amor, entendimento, aceitação, segurança física e suporte emocional.

Como companheiro dela, seu papel é ser este cara. Seja um Homem.

Deixe uma resposta