A ESTRATÉGIA DE MOHAMMED ALI PARA NOCAUTEAR A ANSIEDADE

0
973

Em 1974, Mohammed Ali já era considerado um dos maiores nomes do boxe de todos os tempos quando agendou um combate histórico: no dia 30 de outubro daquele ano, Ali enfrentaria outro peso-pesado lendário e então campeão da categoria, George Foreman, no Zaire (hoje República Democrática do Congo). Esse evento ficou conhecido como The Rumble in the Jungle.

Como sempre, Ali exibia-se cheio de si nas entrevistas antes do evento. “Eu fiz algo diferente para este combate”, ele disse, com sua fanfarronice típica. “Lutei com um crocodilo, troquei sopapos com uma baleia, encurralei um raio e disparei relâmpagos dentro de uma jaula. Nessa última semana, matei uma pedra, machuquei uma montanha e coloquei um tijolo no hospital. Eu sou tão mau que um remédio ficaria doente comigo”.

Contudo, essas bravatas autoconfiantes não seriam suficientes para derrubar Foreman. Ali havia suado a camisa para vencer seus adversários anteriores, Joe Frazier e Ken Norton. Foreman havia lutado com ambos e vencido por nocaute no segundo assalto. Além disso, aos 32 anos de idade, Ali era praticamente um ancião. Foreman, com 24 anos, estava na sua melhor fase, um boxeador espetacular de enorme força física, um soco destruidor e uma incrível movimentação no ringue. Ninguém acreditava muito que a relíquia de 32 anos tinha alguma chance de vencer.

Porém, contra todas as expectativas, Ali ganhou a luta. E a história de como fez isso contém alguns ensinamentos importantes.

Durantes meses antes do combate, ambos lutadores viveram e treinaram no Zaire. Enquanto Foreman treinava em solitude, Ali usou seu charme inconfundível para construir uma relação amistosa com as pessoas do país. No dia da luta, ele tinha a plateia torcendo ao seu lado.

Como parte de suas provocações pré-luta, Ali dizia ser rápido demais para que Foreman o acompanhasse, e iniciou o primeiro assalto com uma chuva de golpes para reforçar essa mensagem. No segundo assalto, Foreman partiu esperando uma troca aberta de golpes, mas Ali procurou as cordas, protegendo o rosto enquanto aguentava duramente o castigo imposto pelos jabs, diretos e cruzados de Foreman. Entre um fôlego e o outro, Ali baixava um pouco a guarda e dizia: “Isso é tudo que você tem, George? Bem que me avisaram que você só sabia dar uns murrinhos…”.

A maioria dos golpes de Foreman encontrava a boa guarda de Ali ou simplesmente não atingia o alvo. Quando os golpes conectavam, Ali permitia que as cordas absorvessem parte da energia, reduzindo os danos. Ocasionalmente, revidava com uma sequência rápida contra o rosto de Foreman, eletrizando a platéia, e então rapidamente retornava ao modo defensivo, protegendo-se e mantendo o corpo pressionado contra as cordas.

Por volta do sétimo assalto, Foreman começou a se cansar. Seus ataques – agora sem a potência esmagadora do início – atingiam o ar ou paravam nas luvas de Ali. Com velocidade e energia, Ali começou a dominar o ringue, fustigando Foreman sem piedade. Finalmente, faltando 12 segundos para o término do oitavo assalto, Ali iniciou uma sucessão de golpes certeiros. O último deles acertou em cheio o queixo de Foreman. Ele ainda tentou se agarrar a Ali, mas não havia mais o que fazer – e desabou no ringue.

Ali não venceu porque era mais forte ou mais atlético. Afinal de contas, Foreman estava no auge de sua forma física. Ali venceu porque foi astuto. Ele estudou a fundo seu adversário; aprendeu as forças e as fraquezas de Foreman. E foi por isso que investiu em uma estratégia de desgaste: ele se preparou para suportar resilientemente uma surra monumental antes de começar a revidar.

Ali não tinha dúvida de que Foreman era um adversário formidável e em melhor forma que ele. Ao invés de lançar-se na incerteza ou na impetuosidade improdutiva, Mohammed criou uma estratégia e foi consistente com ela.

De modo semelhante, algumas vezes Ansiedade pode parecer maior e mais forte que você. Talvez ela já tenha lhe dado algumas surras memoráveis, mas agora você conhece a Estratégia de Ali. Você sabe que pode se apoiar nas cordas para amortecer alguns golpes – não há demérito algum nisso; é importante aguentar algum tempo para que o adversário se canse.

Você também não precisa ser maior ou mais malvado que a Ansiedade. Na verdade, você só precisa ser mais ASTUTO que ela. Seja ousado, audacioso, impulsivo, tenha atitude, mas estude seu adversário e crie uma estratégia. Aguente firme – os golpes virão, tenha certeza disso! Mas, quando chegar a sua hora, erga seus punhos e derrube a Ansiedade na lona sem misericórdia. Funcionou para Muhammed Ali. Funcionará sempre.

Deixe uma resposta