ENTENDA O CIÚME – E LIVRE-SE DELE!

0
1034

De todos os sentimentos humanos, o Ciúme está entre os mais poderosos. Ele é um dos vírus mais comuns que podem assolar sua interação com a sua fêmea.

Alguns estudos sugerem que, entre as mulheres, o ciúme é desencadeado principalmente pela possibilidade de infidelidade emocional. Entre os homens, é a possibilidade de infidelidade sexual que serve de gatilho, mas estas distinções não ajudam muito quando o ciúme bate à porta e bagunça tudo.

O Ciúme pode ter características evolucionárias intricadas, mas ainda assim é SUA tarefa como Homem ser capaz de identificá-lo e desenvolver as ferramentas mentais para livrar-se dessa obsessão, reassumindo o domínio sobre seu comportamento.

A VERDADEIRA CAUSA DO CIÚME

Na raiz do ciúme jaz o Medo.

Alguns homens vivem suas vidas com intenções e outros vivem com medo. Aqueles que vivem com intenções definem objetivos e determinam os passos necessários para atingi-los. Eles nunca se fazem de vítima e assumem completa responsabilidade por suas vidas.

Por outro lado, aqueles que vivem com Medo nunca agem conscientemente na direção de seus objetivos. Eles se especializaram em agir como vítimas das circunstâncias. Vivem com receio de perder o que tem porque não acreditam que na própria capacidade de recuperação ou de conseguir algo melhor.

O Medo que leva ao ciúme costuma apresentar-se de 4 maneiras:

  1. INSEGURANÇA. A insegurança ocorre quando o homem não se sente confortável em ser quem é. Uma vez que ele não é capaz de aceitar-se, ele não entende como as outras pessoas podem. Como sua mulher poderia querer estar com ele e não com outro? Com esta insegurança azucrinando sua cabeça, ele a imagina constantemente fazendo planos para deixá-lo. Qualquer interação dela com outro homem torna-se uma ameaça e ele reage tentando proteger o relacionamento. Perdido em sua insegurança, ele acredita que pode evitar ser abandonado apenas se for capaz de evitar que ela se aproxime de qualquer pessoa – o que nos leva à segunda forma mais comum de manifestação do Medo:
  1. POSSESSIVIDADE. Até certo ponto, ser protetor é um traço nobre. Apesar de você não “possuir” sua mulher, ela tem um grau de expectativa quanto a isso – ela quer se sentir “sua”, especialmente se vocês nutrem uma relação de exclusividade um com o outro. Entretanto, o homem patologicamente possessivo levou este sentimento a extremos. Ele não compreende mais que a “posse” é um consentimento. Ele esqueceu que sua mulher lhe pertence enquanto ela QUISER isso e vice-versa, e que este consentimento pode ser rompido. Muitas vezes, o excesso de proteção pode fazer com que a mulher busque um espaço para si, para respirar um pouco, e isto soa como uma reação de fuga. Com receio de perder o controle, o possessivo intensifica suas atitudes superprotetoras, e todo o ciclo vicioso se reinicia.
  1. BAIXA AUTOESTIMA. Ainda que seja saudável buscar um aperfeiçoamento constante, também é importante entender quem você é. Um homem com baixa autoestima não se aceita, não se entende e tampouco busca aperfeiçoar-se. Ele se aprisionou voluntariamente em uma cela de autopiedade e não aceita ser merecedor de qualquer coisa, incluindo seu relacionamento. Inconsciente de seu valor e com medo de ser abandonado, ele age defensivamente demonstrando ciúmes.
  1. NECESSIDADE DE VALIDAÇÃO. Um Homem não espera a permissão de outros para agir. Ele não anseia por atenção, aceitação ou apoio. Ele conhece seus princípios e toma suas decisões de acordo com eles. Entretanto, alguns homens necessitam uma validação contínua de sua mulher: na cabeça dele, a aceitação dela é uma demonstração de que ela ainda o ama. A falta deste feedback causa uma crise instantânea de ciúme: “ela não se importa então não me quer mais”. Esta necessidade constante de validação leva a mulher a uma exaustão emocional e sela o destino do relacionamento, produzindo justamente o desfecho que ele tanto temia.

 

VENCENDO O CIÚME

Você não viverá o relacionamento dos seus sonhos até enfrentar e vencer seus medos. O ciúme excessivo é um sinal de que você não controla suas emoções: são suas emoções que controlam você. Isso não é impulsividade. É criancice. E você não é mais uma criança. Cresça!

Se o ciúme é uma pedra no seu sapato, analise seu comportamento segundo os 4 parâmetros a seguir. Eles oferecem um método bastante eficaz para resolver o problema:

  1. ACEITE. Você teme o que pode perder, por isso o medo torna você inseguro e raivoso. Não tente matar o ciúme enterrando-o no inconsciente: a saída para livrar-se dela começa pela aceitação de que ele existe, e que você é capaz de compreender suas causas e superá-las. Pergunte-se: “O que me faz sentir ameaçado? Por que me assusta tanto a ideia de perder algo que tenho a ilusão de ser dono?”. O ciúme está tentando lhe dizer algo, você só precisa descobrir o quê.
  1. ENTENDA. O ciúme não é uma reação de ódio, mas frequentemente ele resulta em raiva e muitos homens utilizam essa mesma raiva para punir suas mulheres de alguma maneira. Na verdade, o ciúme é uma reação de defesa que homens inseguros utilizam para proteger seus territórios. Vencer o ciúme consiste em remover o medo da perda. Você não precisa vencer as “ameaças que vem de fora”. Sua tarefa é desenvolver a confiança na relação e sua segurança no próprio taco.
  1. DESCUBRA. Não perca seu tempo combatendo tudo aquilo que desencadeia o ciúme. Se vê-la conversando com outros homens dispara um gatilho de ciúme interno, você pode pensar que colocá-la em um quarto a prova de som seria a solução para o problema. Essa uma ideia ridícula. Correr atrás de cada gatilho irá colocar você em uma espiral de controle neurótico e, finalmente, empurrar para longe o objeto do seu desejo. Opte pelo caminho mais eficaz: descubra de que maneira predominante o medo se manifesta em você (Insegurança, Possessividade, Baixa autoestima ou Necessidade de Validação?).
  1. MUDE. Um homem ciumento deseja controlar o mundo à sua volta, despendendo uma energia enorme tentando fazer sua fêmea agir de um modo que ele não ache ameaçador. Isso, obviamente, não é possível. E quanto mais ele busca o controle absoluto, mais ela se rebela, alimentando um circuito vicioso de comportamento autodestrutivo. A única maneira de romper esse ciclo é trocando de atitude, mudando suas percepções. O ciúme significa medo de não ser bom o suficiente. Se você for seguro e feliz consigo mesmo, então não existe motivo para sentir ciúme. Entenda de uma vez por todas que o equívoco está na maneira como você enxerga o mundo, e não no mundo em si. Assuma tanto a responsabilidade do problema quanto a responsabilidade pela solução.

 

Deixe uma resposta