O INSUCESSO COMO INDICADOR DE SUCESSO

0
600

Quer saber qual é uma das maiores ironias da vida? O fato do insucesso ser um preditor do sucesso. E esta não é uma observação casual de psicologia, mas uma afirmação com fortes raízes biológicas.

Da perspectiva da seleção natural, certos atributos possuem uma chance maior de alcançar gerações futuras, ao passo que outros atributos não.

Considere o aperto de mão, por exemplo: lá nos idos de nossos ancestrais primatas, indivíduos com mãos capazes de um aperto mais forte eram hábeis para escalar árvores mais rapidamente, garantindo uma sobrevivência mais longa e – consequentemente – um maior sucesso reprodutivo quando comparados aos indivíduos com mãos com apertos fracos.

Entretanto, apesar de algumas características oferecerem claras vantagens em relação a outras, TODOS os designs tropeçarão no insucesso em algum momento. Pequenos macacos exclusivamente arborícolas podem ter mãos preênseis extraordinariamente fortes, mas essa especialização lhes custa o potencial de explorar melhor o chão da floresta – eles estão restritos às árvores e, na falta de corredores arborizados, terminarão ilhados em pequenos nichos de floresta. Tudo vem com um preço.

Os processos evolucionários operam sob essa mesma lógica de probabilidades. Ainda que algumas peculiaridades tenham maiores chances de sucesso, todas apresentarão índices de insucesso diferentes de zero. Uma “boa adaptação” pode significar um risco de 10% de morte, ao passo que uma “má adaptação” resultará em um risco de 30%. Em ambos os cenários, o insucesso será necessariamente uma parte do jogo.

O segredo da seleção natural é assim, sutil. Ele se relaciona com qual idiossincrasia resultará, na média do tempo, em uma maior proporção de sucessos em comparação às alternativas mal sucedidas.

O INSUCESSO EVOLUCIONÁRIO E A VIDA REAL

Todo esse papo conceitual sobre como a Evolução se desenrola tem implicações reais no modo como sua vida progride, acredite. Ao longo de sua existência, sucesso e insucesso caminharão sempre juntos.

Se você observar como funcionam os processos orgânicos, verá que este padrão se mantem. Desde os micro-organismos mais frágeis até as plantas mais robustas, a natureza nos ensina que a biologia segue uma programação firme, inexorável. Ela não chora, não lamenta, não conhece a autopiedade, mas simplesmente SEGUE EM FRENTE, de erros em erros e de acertos em acertos.

Quanto mais a natureza tenta, mais ela erra. E quanto mais ela erra, mais os acertos seguem acontecendo – porque eles fazem parte das estatísticas, lembra?

O insucesso é um pré-requisito para o sucesso na vida. Aqueles que nunca tentam são exatamente os que nunca alcançam coisa alguma. Os mais “bem sucedidos” entre nós, sem exceção, são aqueles que mais falharam, como resultado de terem sido os que tentaram sempre, obstinadamente, irrefreavelmente.

Os seres humanos são uma parte da natureza e deveriam recuperar dela essa lição de perseverança implacável. Deu errado? Tente algo novo. Deu tudo errado de novo? Tente outra vez, fazendo pequenos ajustes. E então novamente, modificando conceitos, revendo valores, burilando comportamentos, reprogramando sua rota e afinando suas atitudes.

Não se sinta desencorajado por ter dado com a cara na parede: mais de 90% das espécies de plantas e animais que já habitaram este planeta estão extintos. Todavia, observe o mundo lá fora, exuberante, transbordando em cores, cheiros, brilhos e vida. A natureza, como o tempo e as marés, não pára.

Então você quer alcançar o sucesso em alguma área da sua vida? Ótimo.

Sorria para a adversidade, dê meia volta nos becos sem saída, evolua aos tropeços, agradeça os equívocos – eles estão aí para lhe ajudar! -, e aceite o fato de que “pegada”, esforço e persistência são as ferramentas que verdadeiramente contam. O mundo que você deseja está oculto nos aprendizados dos insucessos. Aprenda. Avance. E cresça.

Deixe uma resposta