VOCÊ É VICIADO EM PORNOGRAFIA?

2
678

Não sou uma pessoa religiosa ou puritana. Longe disso: há anos evito entrar em igrejas por medo de transpirar fumaça e enxofre pela pele. Sou apaixonado por sexo, uísques 12 anos, bons cigarros e uma longa lista de outros pecados.

Por isso afirmo que a pornografia não é moralmente ruim, não defendo discursos ingênuos e tolos desse tipo. Estou aqui para lhe dizer que a pornografia, em especial o vício em pornografia online, é PSICOLÓGICA E FISICAMENTE ruim e impede você de ser o grande Homem que você nasceu para ser. Para mim, não há pecado maior que este.

Você pode pensar que seu consumo de pornografia é controlado, que não é dependente disso. Afinal, o típico sujeito viciado em pornografia é aquele cara gordo e seboso que mora com os pais e fica enfiado em casa 24h por dia assistindo vídeos do Mike´s Apartment, do Woodman, do CastingCouch, do Nubiles e etc. Um sujeito tão fissurado que come chips na frente do computador, não toma banho, não trabalha, vive com manchas brancas na roupa e tem uma mão direita sempre pegajosa. Mas não é bem assim. Esta concepção está bem distante da verdade.

Os processos neuronais relacionados ao consumo frequente de pornografia são bastante similares àqueles observados em viciados em drogas. Não é surpresa, então, perceber que a maioria dos dependentes não é capaz de diagnosticar o próprio comportamento como algo fora do normal.

O problema é exatamente este: em nossa sociedade, assistir pornôs se tornou algo absolutamente rotineiro. É uma coisa tão disseminada que, se você não assiste, seus amigos acham você “esquisito”. Contudo, 95% dos homens que assistem vídeos pornôs regularmente estão dependentes disso. Assim como tomar café, a pornografia se tornou um vício tolerável.

Um orgasmo patrocinado por uma cena quente na tela do seu computador ou celular desencadeia uma liberação extraordinária de dopamina no cérebro. A dopamina é um dos principais neurotransmissores associados ao prazer.

Seu cérebro ama dopamina mais do que ele ama dinheiro e nádegas femininas perfeitas vestindo um fio dental. E é esse amor viciante pela dopamina que faz você voltar aos websites de pornografia, dia após dia.

Quando os níveis de dopamina caem, seu cérebro pede mais uma dose. E então outra. E ele logo aprende como consegui doses adicionais sempre que desejar: é só mandar você de volta à pornografia, para outra sessão de masturbação e mais uma ducha dopamina. Você está agora dependente destes níveis hormonais artificialmente elevados e acha normal ser desse jeito.

Imagine ficar sem consumir qualquer tipo de pornografia por um mês. Um mês INTEIRO. Conseguiu imaginar? Percebeu que a primeira reação a essa proposta está associada a expectativas de ansiedade, frustração, desconforto, deboche ou irritação? Estes sintomas são a forma do cérebro se revoltar com a possibilidade de não obter toda a dopamina que está acostumado.

Se você quer ser como todos os outros, perdido no meio de uma manada letárgica e domesticada por alívios virtuais, ligue seu computador e vá assistir mais vídeos enquanto descasca sua banana. Mas, se você espera fazer parte daqueles 5% de homens que alcançam 80% do sucesso, então é imprescindível separar-se da multidão.

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta