AS 8 PERGUNTAS QUE DEVEM SER FEITAS ANTES DA SEPARAÇÃO

0
651

Para que o divórcio ocorra de modo colaborativo e respeitoso – se é que isso é possível… -, você deve estar preparado para separar sua vida em todos os níveis, tanto legal quanto física e emocionalmente.

Para harmonizar o discurso e colocar você e sua esposa na mesma página da questão, responda:

  1. VOCÊS AINDA TÊM SENTIMENTOS UM PELO OUTRO? Muitos casais que dizem “queremos nos divorciar” ainda nutrem sentimentos fortes um pelo outro, mas devido a uma queda de braço de egos e orgulhos eles perderam a noção de proximidade e intimidade. Se ainda existe algum sentimento, a separação não irá produzir alívio, mas angústia, e provavelmente depois dele você irá se sentir pior do que se sente agora.
  1. SERÁ QUE VOCÊS ESTIVERAM MESMO CASADOS ALGUM DIA? Ser casado exige uma troca do “EU” por “NÓS”. Será que vocês entraram no casamento como uma guerra por liderança, fazendo dele um campo de batalha para fazer prevalecer apenas o seu ego ou o dela? Manter sua individualidade é importante, mas ao optar pelo matrimônio você também está optando por uma mudança de foco onde a preservação de um sentimento de UNIÃO COLABORATIVA passa a ocupar o centro da atenção de ambos. Se você – ou ela – viveu o relacionamento tendo como único objetivo preocupar-se com a satisfação do próprio umbigo, então vocês nunca estiveram casados de verdade. Que tal reeditar o modelo de interação antes de desistir do pacote completo?
  1. VOCÊS ESTÃO REALMENTE PRONTOS PARA O DIVÓRCIO OU SÓ ESTÃO BRINCANDO DE AMEAÇAS? Relacionamentos maduros operam por meio de consensos, não ameaças. Mencionar que você quer uma separação pode ser um mecanismo de defesa-e-ataque desencadeado por raiva, frustração, necessidade de sentir-se no comando (fazendo as coisas apenas ao seu modo), intenção de motivar uma mudança, ou um chamado desesperado para sacudir a mesmice. Nenhuma dessas motivações é genuína e ficar brandindo no ar a espada do divórcio a cada discussão apenas diminui a sua credibilidade. Você quer realmente encerrar sem culpas um capítulo da sua vida ou está apenas fazendo birra?
  1. ESTA É UMA DECISÃO BASEADA EM AUTOCONHECIMENTO OU UMA REAÇÃO EMOCIONAL? A decisão de separar-se deve ser feita de maneira lúcida, fria e sustentável. Você deve estar 100% preparado para cortar todos seus laços com a outra pessoa – inclusive o laço da Hostilidade. Decisões com alta carga emocional costumam associar-se a estragos duradouros. Se você quer o divórcio por raiva, ciúme ou insegurança, esses sentimentos irão aumentar. Diga para si mesmo: “Eu entendo que ela é uma pessoa com seus próprios defeitos e grandes qualidades, cheia de sonhos e planos, e eu a respeito muito por isso, mas não desejo mais estar casado com ela”. Consegue dizer isso sem que seus batimentos cardíacos aumentem ou ficar pensando apaixonadamente em um futuro hipotético onde as coisas poderiam ser diferentes entre vocês dois?
  1. QUAL A SUA INTENÇÃO COM O DIVÓRCIO? Existe alguma agenda ou subterfúgio nas entrelinhas do seu pedido de separação? Se você tem a esperança de que com o divórcio ela possa mudar e tratar você melhor, ou quer fazê-la sentir a dor da perda ou usar o divórcio como uma forma de punição pelo sofrimento que ela lhe causou, então está baseando sua decisão em todos os motivos errados possíveis. O divórcio não tem o poder de consertar o que estava errado. Um divórcio só é capaz de fazer uma coisa: terminar um casamento e liberar você E ELA para que desenvolvam laços emocionais com outras pessoas.
  1. VOCÊS JÁ RESOLVERAM SEUS CONFLITOS INTERNOS SOBRE A DECISÃO? O sentimento de certeza pode vir misturado com de culpa. Você pode se sentir traído por ter investido tanto naquela relação e agora vê-la terminando. Você reconhece esses conflitos e está disposto a assumir a parte da responsabilidade que lhe cabe?
  1. VOCÊS SÃO CAPAZES DE LIDAR COM AS CONSEQUÊNCIAS? Desapontamento, solidão, frustração, amargura, revolta, tristeza, ansiedade, labilidade emocional e vulnerabilidade esperam por você logo ali, depois da esquina. Não adianta fazer pose de macho e fingir o contrário. O mais adequado é preparar-se para o que está por vir. Além da sua dor, você terá que lidar também com a dor dela e das crianças – se tiverem filhos. Você tem um círculo familiar e de amigos capaz de lhe oferecer algum suporte?

Se você não quer mudanças no seu estilo de vida ou nas suas finanças, então você não está pronto para o divórcio.

Se você não consegue aceitar a mágoa e a raiva dos seus filhos, então você não está pronto para o divórcio.

Se você não pode receber o medo do desconhecido, então você não está pronto para o divórcio.

Se você não está preparado para cortar completamente todo e qualquer laço emocional com ela, então você não está pronto para o divórcio.

  1. VOCÊ ESTÁ DISPOSTO A ASSUMIR O CONTROLE DE SUA VIDA DE MODO RESPONSÁVEL E MADURO? Esta é a derradeira pergunta. O divórcio não é um retorno à sua adolescência ou infância. Ele é um ritual que dever marcar sua passagem para um nível maior de maturidade, força, compreensão e respeito.

Se você observou corretamente os sinais e sintomas que levaram até este ponto, venceu o dilema do Medo, controlou suas reações emocionais e manteve seu diálogo dentro da razão, e ainda assim concluiu que o divórcio é a única saída, então existe uma grande chance de que você venha a passar por esta fase com o mínimo de danos possíveis.

Será difícil, mas ninguém lhe prometeu que viver seria uma tarefa simples e fácil, prometeu?

 

Deixe uma resposta