VOCÊ ESTÁ PRONTO PARA O DIVÓRCIO?

0
565

A maioria dos livros e textos sobre divórcio baseia-se na premissa de que, uma vez que o casal decidiu se separar, eles estão 100% prontos para dar este passo. Nem sempre é assim. Em geral, quando a conversa de separação surge, um dos dois é pego de surpresa pela notícia. Ou ambos.

É esta falta de preparo para lidar com o assunto Divórcio que faz com que muitos casamentos terminem cedo demais ou se deteriorem em competições destrutivas por anos a fio. Apesar de parecer banal, com tanta gente se divorciando hoje em dia, terminar um casamento é uma das decisões mais importantes que você pode tomar – e as consequências podem repercutir por anos ou até mesmo pela vida inteira.

Uma decisão dessa relevância merece uma reflexão enorme, muito maior e mais profunda que aquela que normalmente você está disposto a oferecer. O problema é acreditar que, uma vez iniciada a conversa, quanto mais cedo tudo terminar, melhor. É como tomar uma injeção: se for rápido, deve doer menos. Até os amigos oferecem esse tipo de conselho – “termina logo e segue com sua vida!”, eles dizem. Mas um Divórcio não é uma carta de alforria sem fardos e ele certamente não cabe numa ampola.

Você decidiu pelo Divórcio na esperança de que a paz e a normalidade retornem à sua vida, mas não é bem assim que as coisas irão acontecer, acredite. É justamente o oposto, especialmente no princípio. Muitos casais que se separam na correria de resolver atritos na verdade terminam adicionando mais um ponto de discórdia ao relacionamento: o processo de separação se arrasta, as acusações brotam e se multiplicam, as mágoas se prolongam, e a promessa de serenidade se dissipa.

Se você está pensando em preencher a declaração de óbito do seu matrimônio, que tal fazer uma análise objetiva dos sinais e sintomas que levaram ao diagnóstico antes de bater o martelo?

Preparei a seguir um roteiro para facilitar a identificação das causas do problema e selecionei uma série de perguntas que você deve levar em consideração para tomar sua decisão com o máximo de consciência.

DIVÓRCIO: ETIOLOGIA, SINAIS E SINTOMAS 

Algumas vezes o divórcio parece ser a única opção saudável. Se você está neste caminho, recomendo que reflita sobre os motivos mais comuns que levam à separação. Será que seu caso se encaixa em algum destes?

  1. EXCESSO DE INTERAÇÕES NEGATIVAS. Frequentemente, não é a gravidade, mas a QUANTIDADE dos desentendimentos que costuma indicar a necessidade de um divórcio. A fórmula mágica que produz o desencanto parece ser de 5 interações positivas para cada interação negativa. Deste ponto em diante, o caldo entorna. Discutir sobre detalhes é uma parte normal de qualquer convivência, mas isso não deveria fazer parte da rotina. O limite psicológico de 5×1 salienta a importância das pequenas discussões como indicadoras de problemas conjugais potencialmente graves e irreconciliáveis. Você tomou nota desse padrão entre vocês dois?
  1. GRAVIDADE DAS DISCUSSÕES. Até mesmo a fórmula mágica acima possui limites. A proporção entre interações negativas e positivas não deve ser levada em conta quando a discussões começam a descambar para acusações graves, ameaças físicas ou demonstrações francas de violência. Ocorreu algo assim?
  1. DIFERENÇA DE VALORES. Por exemplo: ela quer ter 6 filhos, mas você valoriza mais sua carreira e sucesso profissional e nem considera a possibilidade de trocar fraldas. Exceto se a visão de um ou de outro mude, o divórcio é o destino mais provável com o tempo. Quais valores e esperanças vocês compartilham?
  1. A TERAPIA DE CASAL NÃO FUNCIONOU. O aconselhamento profissional é uma ferramenta extraordinária para trabalhar problemas e aprender mecanismos para resolver desentendimentos. Mas é preciso que AMBOS estejam dispostos. Se vocês passaram por algum tipo de terapia desse tipo e parece que não funcionou, pode afirmar sem sombra de dúvidas que foi ELA – e não você – quem empacou ou sabotou as mudanças necessárias?
  1. INFIDELIDADE. Ainda que alguns casais sejam capazes de se recuperar após uma pulada de cerca, muitos encaram a infidelidade como um ponto final indiscutível. Se algo desse tipo ocorreu, será que os laços de confiança não podem ser reconstruídos?
  1. EXAUSTÃO EMOCIONAL. O casamento pode ser uma grande escola, com aprendizados preciosos para sua vida. Mas quando ele se transforma em uma competição ou em uma caminhada cuidadosa sobre cascas de ovos, a exaustão emocional pode eliminar a motivação necessária para continuar. Um casal é feito pelo comprometimento de 2, não pelo empenho de apenas 1. Manter seus sonhos e ideias para si, sem qualquer vontade de compartilhá-los com sua mulher, é um dos principais sinais de exaustão emocional. Como anda a comunicação entre vocês dois? Será que a culpa é única e exclusivamente dela?
  1. SUAS NECESSIDADES NÃO CONTAM MAIS. Muito mais que uma empresa de dois sócios, um casamento é uma parceria de cúmplices. É um universo onde um deve transbordar o outro, fisica, emocional e espiritualmente. Se ela não lhe oferece reciprocidade em termos de envolvimento em seus planos, entendimento, apoio, afeto, carinho e sexo, vá em frente e divorcie-se. Mas antes me diga: será que você é este marido dedicado, participativo e atencioso que acha ser?
  1. VOCÊ SÓ PENSA EM CONTINUAR JUNTO POR CAUSA DAS CRIANÇAS.Crianças não são adultos em miniatura, mas têm uma sensibilidade enorme. Elas podem detectar animosidades a quilômetros de distância. Mais que isso: as crianças absorvem os padrões de comportamento dos pais e tendem a repeti-los na idade adulta. Você quer mesmo que elas cresçam pensando que um relacionamento frustrado, cheio de desarmonia e discussões, é o modo mais saudável de interação?
  1. O RESPEITO SE FOI. Um relacionamento sólido baseia-se, antes de mais nada, em confiança, compreensão e respeito mútuo. Sem esses ingredientes, conviver com alguém torna-se um inferno. Qual o seu nível de tolerância e compreensão com as diferenças?
  1. VOCÊ CONSIDERA O CASAMENTO A OPÇÃO MENOS RUIM NO MOMENTO. Se você acredita que ficar com ela é mais fácil que zerar o cronômetro e tentar tudo de novo, existe uma boa chance de seu casamento estar respirando por meio de aparelhos. Sim, um divórcio irá aumentar suas despesas, pelo menos no princípio. E sim, um divórcio irá lhe passar um sentimento de insucesso e constrangimento. Mas nada disso é motivo para aceitar passivamente dias ruins sem lutar por dias melhores.

Deixe uma resposta