VOCÊ FALA COM ESTRANHOS?

0
722

Desde a mais tenra infância, somos ensinados a não falar com estranhos. Ainda que seus pais e familiares tenham repetido isso com a melhor das intenções, pensando em sua segurança, muitas pessoas terminam carregando esse mantra ao longo de toda a idade adulta.

A imagem do sujeito forte, seguro, inabalável, via de regra é associada alguém que fala pouco e só observa, mas a realidade de nossa biologia é completamente inversa disso: o ser humano é um ser social, já dizia Aristóteles (384-322 a.C.). E é mesmo. Até porque, um ser humano pode ser um animal carnívoro, inteligente e industrioso, mas é frágil demais para viver sozinho na natureza.

Todavia, como estampado em dúzias de filmes como Paris, Texas, O Náufrago, Wall-E, Na Natureza Selvagem e Her – para citar apenas alguns poucos -, estamos nos tornando mais e mais isolados a cada dia. Depois de anos morando e trabalhando em uma mesma redondeza, não sabemos o nome de nossos vizinhos ou de nossos colegas de trabalho. A desconfiança social não é ruim apenas para a comunidade como um todo: é ruim para cada pessoa em particular.

Para quebrar este círculo vicioso, basta assumir uma atitude simples: que tal conversar com um estranho a cada dia?

Além de correr o risco de fazer novos amigos – o que é ótimo -, conversar com estranhos abre um leque enorme de outras possibilidades:

  1. ROMANCE. Você realmente acredita que o amor de sua vida irá bater na sua porta como um poema de Carlos Drummond de Andrade? Se você vive se lamentando por nunca encontrar alguém que valha à pena, então provavelmente não está procurando com o afinco necessário. Olhe ao redor de você. Neste momento, existem mais de 7 bilhões de seres humanos compartilhando a superfície deste planeta. Duvido muito que você tenha conhecido todos eles.
  1. CONTATOS. Como vai trabalhar seu networking se você só conversa com sua mãe e seu gato? Desenvolva o hábito de conversar com pessoas que não conhece e veja como isso pode ser útil para alavancar sua carreira.
  1. HABILIDADES SOCIAIS. A capacidade de manter boas interações sociais talvez seja o aspecto mais importante – e mais negligenciado – em seu currículo. Assim como qualquer outra habilidade, ser comunicativo sem ser chato é algo que requer prática. Falar com estranhos oferecerá uma excelente oportunidade para afinar sua maestria nessa arte.
  1. EXPANDIR SUA VISÃO DO MUNDO. Por definição, um estranho é alguém diferente de você. Será que o modo como essa pessoa enxerga o mundo pode ampliar a sua própria capacidade de enxergar a realidade?
  1. INJEÇÃO DE AUTOCONFIANÇA. Uma dose extra de adrenalina é liberada quando conversamos com um estranho. Você não terá necessariamente uma crise de pânico emoldurada com gritos de terror, mas o inusitado da situação, a imprevisibilidade, o imponderável, eles certamente farão sua adrenalina correr fora do rotineiro. Saber lidar com essa adrenalina, mantendo o passo e as circunstâncias sobre controle, é um exercício inteligente para ir fortalecendo sua autoconfiança.

A BOA E VELHA RECEITA DE BOLO

Então você se convenceu de que conversar com estranhos pode ser uma boa ideia. Excelente. Mas como fazer isso sem parecer um maníaco carente?

Se você não domina a arte de ser naturalmente extrovertido, talvez essas 7 dicas sejam úteis:

  1. DEIXE SEU ORGULHO DE LADO. Você pode até pensar que a principal barreira que lhe impede de conversar com estranhos seja timidez ou nervosismo, mas não é. A principal barreira é o Orgulho. Ficamos tímidos ou nervosos porque o Ego morre de medo de ser rejeitado – e se refugia com todas as forças nas profundidades da sua zona de conforto para evitar esse tipo de constrangimento. Mas o lance é que este medo é completamente ilógico: na esmagadora maioria das vezes em que você puxar uma conversa com um estranho, a resposta será positiva.

Lembre-se de Aristóteles: se quem você interpelou for um ser humano, está na natureza daquele animal ser social. Relaxe. E se ocorrer algum tipo de rejeição, deixe estar: você não conhecia aquela pessoa até então. Tudo que irá acontecer é que você continuará sem conhecê-la. A quantidade de oxigênio na atmosfera e o movimento das placas tectônicas provavelmente não serão afetados por isso.

  1. VISTA-SE BEM. Em primeiro lugar, porque isso lhe dá autoconfiança. Em segundo lugar, porque você se torna agradável para os olhos das outras pessoas. Vista-se com elegância e bom gosto. Para evitar exageros, recomendo conferir algumas mancadas que você pode estar cometendo no seu visual – e nem tinha se tocado até agora.
  1. SORRIA E DIGA OLÁ. Ah, o poder de um sorriso… A Linguagem Corporal é um instrumento de comunicação tão antigo e bem sucedido que se incrustou em nossos genes: crianças que nasceram cegas sorriem, ainda que jamais tenham visto um sorriso para reconhecer seu significado. Somos todos geneticamente programados para emitir e interpretar esta comunicação silenciosa, e dominar seus sinais pode fazer toda a diferença. Aprimore o hábito de olhar as pessoas nos olhos quando passar por elas, sorrir e dizer “olá!”. Pratique isso até a exaustão. Em muitos casos, isso é tudo que a situação necessita para se desdobrar em uma conversação agradável.
  1. QUEBRE O GELO. Descubra alguma coisa que você tem em comum com a outra pessoa e faça um comentário sobre isso. Sirva-se do contexto, peça uma opinião sobre algo, use o clima se for necessário. A conversa pode durar poucos minutos, mas existe sempre a chance de que algo maior brote dali. A vida inteira é uma tentativa. Tente!
  1. QUE TAL ALGUÉM DO SEU TRABALHO? Confabular com alguém que você ainda não conhece no seu local de trabalho é uma estratégia esperta para desenvolver suas habilidades de conversar com estranhos. Afinal de contas, o trabalho em si já serve como pano de fundo para iniciar o diálogo. Entretanto, para aproveitar ao máximo seu treinamento nesse cenário, vale uma advertência: mantenha distância de pessoas tóxicas.
  1. SEJA AUTÊNTICO. Ao conversar com estranhos, procure ser legítimo. É completamente desnecessário e infantil vestir um personagem incrível apenas para impressionar quem você não conhece. Quando você está confortável sendo você mesmo, as pessoas reconhecem isso e instantaneamente sentem-se confortáveis com sua presença também.
  1. FAÇA PERGUNTAS. Uma das maneiras mais simples de fazer alguém começar a conversar é fazer perguntas. A maioria das pessoas ama falar sobre si. Então pergunte sobre isso – mas com cautela. Se você abordar uma mulher na rua e começar a perguntar onde ela mora e que horas vai dormir, isso não irá dar um resultado muito bom. Tenha bom senso: comece com perguntas inofensivas e, de preferência, que exijam respostas mais complexas que um simples “sim” ou “não”. Tente variações como “O que você achou da nova medida do governo?”, OU “da música de fulano?”, OU “do filme de tal ator?”.

Se deseja saber mais sobre como manter uma conversa interessante, recomendo que se aprofunde no assunto estudando o Método do Diálogo Eficaz e as 30 Regras de Conversação para Cavalheiros. Certamente encontrará mais orientações práticas e construtivas lá.

 

 

 

Deixe uma resposta