INSPIRAÇÃO É PARA AMADORES: DESENVOLVA UMA ROTINA

8
1142

Costumamos pensar na palavra “profissional” como uma maneira de designar alguém altamente habilidoso em uma determinada área ou com alta formação acadêmica. Contudo, a origem da palavra “profissional” remonta ao termo latino “professionem”, que significa “declarar abertamente”. Na Idade Média, essa designação passou a descrever os votos que eram proferidos ao ser admitido em uma ordem religiosa, e logo se tornaram um termo empregado para qualquer declaração solene sobre algo.

Deveríamos recuperar esta perspectiva do “profissional”, vendo o profissionalismo como uma atitude mental, um compromisso com a excelência do trabalho à sua frente.

Talvez você não deteste seu trabalho, mas mesmo quando amamos o que fazemos, invariavelmente existem tarefas que são entediantes, difíceis, irritantes, e que só podem ser terminadas mediante uma boa dose de força de vontade.

Um “amador” é alguém que espera o tempo que for necessário até sentir-se motivado para fazer algo. Um “profissional”, não. Ele faz o que deve ser feito. Ele tem um juramento a cumprir, independente de seu humor ou estado de espírito.

Adotar uma abordagem profissional pode parecer mais fácil quando o trabalho envolve tarefas burocráticas ou repetitivas: existe uma expectativa cultural que afirma que artistas, artesãos, músicos e escritores, devem esperar pela “inspiração” para desenvolver seu trabalho criativo. Isso é uma inverdade. Um profissional não espera pela inspiração: ele faz o seu trabalho e sabe que a inspiração eventualmente irá aparecer.

A grande diferença entre um Amador e um Profissional, portanto, está na Rotina. Um Profissional tem uma rotina de produção. Um Amador tem crises criativas. Legados duradouros não nascem de crises, mas de método, disciplina, consistência.

Quatro maneiras para desenvolver uma rotina profissional

Em um Homem inteligente, a rotina é um dos sinais mais confiáveis de ambição. O estoico sabe que a melhor maneira de disciplinar suas paixões consiste em disciplinar o seu tempo, decidir o quê fazer dia após dia, repetindo ciclos, domando a vontade e transformando-a em uma força realizadora de maravilhas.

Para desenvolver uma rotina profissional e sair da manada dos amadores, recomendo que você:

  1. Faça antes o trabalho mais importante. Johann Wolfgang von Goeth escreveu: “um homem trabalha melhor quando se sente renovado e fortalecido pelo sono e ainda não foi acossado pelas trivialidades absurdas do cotidiano”. Coloque como prioridade carregar as pedras grandes primeiro, deixando as menores para mais tarde.
  1. Lute com todas as forças para manter a continuidade. Ernest Hemingway acordava todos os dias e começava a escrever logo cedo, mesmo quando dormia de madrugada ou bebia quase a noite inteira. Ele trabalhava por várias horas sem parar e não permitia que as circunstâncias ditassem a rotina: nenhuma desculpa era suficientemente boa para turvar o foco de seu compromisso com a escrita.

Durante sua rotina, faça pequenas pausas para recuperar o fôlego, mas NUNCA sem ter completado uma determinada tarefa. Um lutador de boxe que baixa a guarda para respirar no meio de um round certamente irá a nocaute mais cedo que o previsto.

  1. Mantenha-se em dia com objetivos claros e quantificáveis. Sentar-se na sua mesa e ficar lá pensando na morte da bezerra por 4h não significa que as tarefas serão feitas. Mesmo em atividades criativas, é importante ter um objetivo tangível que indique que aquelas horas foram investidas corretamente. Muitos escritores, por exemplo, colocam como meta um determinado número de palavras – por exemplo, 2.000 palavras por dia, começando às 8:00h da manhã -, e não abandonam seu posto até que a meta tenha sido atingida.

Estabeleça pequenas metas diárias. Seja razoável, porém consistente. Por exemplo: escrever uma página por dia produz um livro inédito de 365 páginas por ano.

  1. Comprometa-se com o longo prazo. A observação mais incrível sobre muitos caras que se compromissaram de verdade com seus rituais diários foi o grau de sucesso que todos eles experimentaram. Quanto mais tempo você se mantiver na sua rotina profissional, maior será sua conquista. Por exemplo: Charles Schultz, o criador de Snoopy, trabalhou sozinho, 7h por dia, 5 dias por semana, por quase 50 anos. A recompensa por sua rotina profissional? Aproximadamente 18.000 tirinhas originais, fama, fortuna e um legado que continua até os dias de hoje.

Você pode abordar sua vida inteira como um Amador ou um Profissional. É você quem decide se irá ser governado ou irá governar seus sentimentos e estabelecer uma rotina destinada ao sucesso.

Muitas pessoas que perseguem carreiras mais criativas sonham com o fim dos horários no escritório e uma vida de liberdade e autonomia imaginativa. Ironicamente, todos que encontraram sucesso como empreendedores independentes ou artistas de qualquer tipo, sabem o quanto seu sucesso foi dependente de disciplina, estudo, repetição e rotina.

 

8 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta