10 PASSOS DESCREVENDO O QUE COMEÇA COM O PASSAPORTE SANITÁRIO E PARA ONDE ELE LEVA

0
2707

Partindo do conjunto de regras na África do Sul (Pass Law) e das Leis Jim Crow dos EUA adotadas nos séculos XIX e XX, e passando pelas estrelas amarelas nos guetos engendrados pelos nazistas, existiram diversos eventos históricos que empregaram medidas semelhantes aos famigerados Passaportes Sanitários que estão sendo implantados em diversos países em 2021.

Com base nesses registros, é possível teorizar alguns desdobramentos distópicos das medidas atuais. Estes desdobramentos podem não se tornar realidade, mas suas possibilidades são tangíveis e as perspectivas, sinistras.

Vamos lá:

1) Carregar um Passaporte Sanitário será obrigatório em todos os lugares, o tempo todo.

2) Nem todo mundo será exatamente obrigado a se vacinar, mas indivíduos com Passaportes SEM carimbos de vacinação receberão uma denominação específica, algo como Pessoas Sem Passaporte Válido (PSPV).

3) PSPVs não poderão acessar alguns serviços públicos, tais como correios, bancos, cartórios, transporte, escolas, registros de imóveis, recebimento de auxílios governamentais, etc.

4) PSPVs serão impedidas de frequentar vôos, bares, restaurantes, escolas particulares, academias de ginástica, igrejas e clubes, bem como de contrair empréstimos, possuir cartões de crédito e assinar determinados contratos, por exemplo.

5) PSPVs também poderão ser demitidas por justa causa, sem direito de recebimento de qualquer forma de seguridade social.

6) Serão criadas áreas específicas para PSPVs. Ao se deslocarem para áreas fora de seus guetos, os “não-vacinados” terão que levar consigo – além do referido passaporte – uma permissão especial emitida pelo governo para aquele acesso, guia de confirmação do pagamento das taxas relativas ao período de acesso, documentos de identidade, comprovante de trabalho e atestado de antecedentes criminais (entre outros), além de serem obrigados a obedecer a uma série de prescrições sobre distanciamento social. Cada violação destas regras resultará em uma anotação no Passaporte, prisão (chamada “período de quarentena”) e, derradeiramente, vacinação compulsória.

7) Apenas pessoas vacina das terão direitos políticos como voto, prestar concursos públicos, nomeação para cargos no Estado ou permissão para se candidatarem a postos eletivos.

8) Pessoas não-vacinadas serão proibidas de se casar com, ter filhos com ou frequentar a casa de pessoas vacinadas.

9) Algumas Pessoas Sem Passaporte Válido se resignarão em seus guetos ou migrarão para reservas de sua preferência. Contudo, para sobreviver, uma parcela significativa das PSPVs constituirão uma imensa casta aproveitável para todo tipo de trabalho escravo, degradante ou mal remunerado, incluindo prostituição e comércio de órgãos.

10) Este Apartheid Sanitário durará décadas antes de desmoronar sob o peso de sua própria imbecilidade.

Deixe uma resposta