ENTENDENDO OS TESTES E A IMUNIDADE PARA O COVID19

0
5517

Os testes para diagnóstico de covid19 mais comumente empregados no Brasil são chamados testes SOROLÓGICOS, que detectam a presença de anticorpos contra o vírus no seu sangue.

Para entender como esses testes funcionam, você precisa saber algumas coisas sobre como seu próprio sistema de defesa imunológica funciona.

É o seguinte:

Bem aí dentro do corpo que você habita, existem milhões e milhões células chamadas Linfócitos B que, entre outras coisas, são capazes de produzir proteínas que agem como “venenos” contra microrganismos invasores. Essas proteínas receberam o nome científico de Imunoglobulinas e também são conhecidas como Anticorpos.

Os anticorpos possuem 3 funções principais:

1. NEUTRALIZAR TOXINAS. Isso serve tanto para inativar venenos (p.ex.: de picadas de abelha, de cobras, escorpiões, aranhas, etc) quanto para proteger de vírus e bactérias. Este é o mecanismo primário de defesa conferido pelas BOAS vacinas.

2. FACILITAR A FAGOCITOSE. A fagocitose é o processo de “comer”. Por exemplo: se a neutralização de toxinas não for suficiente para evitar a proliferação de bactérias, os anticorpos se ligam a essas bactérias, marcando-as com “bandeirinhas de alerta” (um processo chamado de opsonização). Uma vez dado este aviso, tudo que estiver marcado será devorado pelos macrófagos e neutrófilos.

3. ATIVAÇÃO DO SISTEMA COMPLEMENTO. Este sistema destrói os patógenos por meio de lise e quimiotaxia.

AS IMUNOGLOBULINAS

Quando você vence a luta contra um microrganismo que invadiu seu corpo, as células que produzem anticorpos contra aquele agente se multiplicam para guardar a “memória” das armas que funcionaram para resolver o ataque. A Memória Imunológica é uma das várias características incríveis do sistema de defesa e também é um dos principais mecanismos por trás da eficácia das BOAS vacinas.

É a Memória Imunológica que protege você de reinfecções por um mesmo patógeno e que limita a disseminação de uma epidemia. Essa memória pode ser extremamente duradoura: no caso do sarampo, ela dura tanto tempo que seriam necessários mais de 3.000 anos para que a eficácia das defesas desenvolvidas pelo seu corpo caísse pela metade. Ou seja: em alguns casos, a memória imunológica contra um agente infeccioso dura a vida inteira.

Dos 5 tipos principais de Imunoglobulinas que temos, 2 estão envolvidos neste processo de Memória: Imunoglobulinas do tipo G (IgG) e Imunoglobulinas do tipo M (IgM).

AS IMUNOGLOBULINAS G. A IgG é o tipo de anticorpo mais abundante no sangue, respondendo por 80 a 75% do total de imunoglobulinas presentes no seu organismo. A IgG se liga aos antígenos e ativa o processo de reconhecimento pelos leucócitos e macrófagos. A mãe transfere cargas de IgG para o feto durante a gravidez, protegendo-o até que seu próprio sistema imune se torne operacional. A IgG é a principal responsável pela imunidade de longo prazo após uma infecção ou vacinação.

AS IMUNOGLOBULINAS M. Essas imunoglobulinas respondem por cerca de 10% do total de anticorpos no seu organismo. Quando você entra em contato com um agente infeccioso, seus linfócitos B acionam imediatamente a fábrica de produção de IgM para formar o “pelotão de primeira resposta” frente a um ataque.

AS IMUNOGLOBULINAS NO COVID

Quando o covid19 entra no seu corpo, os linfócitos B começam a produzir imunoglobulinas, mas este processo é relativamente lento. Após 7 dias do início dos sintomas, menos de 40% das pessoas apresentam anticorpos detectáveis no sangue. Após 15 dias do início dos sintomas, aproximadamente 94% apresentam IgM positivo e 80% apresentam IgG positivo.

De um modo geral, pessoas com níveis mais elevados de anticorpos apresentam um curso clínico mais grave. Isso é compatível com a observação clássica de que quanto mais intensa a resposta inflamatória a um determinado evento, maior o risco que você corre. Para tudo existe uma medida ideal, e não ocorre diferente com seu sistema imunológico: se exagerar na dose, ele pode piorar a confusão invés de resolvê-la.

Após contato com o covid19, os níveis de IgM permanecem positivos por 14-21 dias (contados a partir do início dos sintomas). Por volta do dia 14, os níveis de IgG se tornam positivos e aumentam até por volta do dia 28-35, atingindo um pico mais ou menos quando você começa a sentir realmente melhor.

A IgG em geral dura bem mais tempo que a IgM, podendo permanecer positiva por meses ou mesmo anos após o término da infecção (por tratar-se de uma epidemia “nova”, ainda não temos dados suficientes para dizer por quanto tempo ela permanece positiva no caso do covid19).

COMO INTERPRETAR OS EXAMES EM PESSOAS SEM SINTOMAS?

Os testes sorológicos para covid19 medem os níveis de IgM e IgG no seu sangue. Conforme os resultados, temos 4 configurações possíveis:

IgM e IgG NEGATIVOS = isso significa que seu corpo não produziu anticorpos contra o vírus. Sua chance de ter tido contato com o covid19 é bem pequena. Da mesma maneira, isso significa que você não tem defesa contra o vírus (pelo menos teoricamente…). Um teste 100% negativo não é capaz de excluir a possibilidade de que você tenha tido contato recentemente com o covid19 e esteja apenas iniciando sua produção de imunoglobulinas. A “fábrica” do seu organismo pode ainda estar “montando” os anticorpos, e eles não foram “lançados” na corrente sanguínea em quantidade suficiente para aparecer nos exames.

IgG POSITIVO e IgM NEGATIVO = isso significa que seu organismo produziu anticorpos de ação prolongada contra o covid19. Provavelmente, você teve uma infecção há algumas semanas, ainda que não tenha sentido o ataque (pelo menos 80% dos casos de infecção pelo covid19 produzem nenhum sintoma ou produzem sintomas muito brandos, que mais se parecem com uma rinite ou um resfriado leve). A IgG POSITIVA lhe garante um certo grau de imunidade contra o vírus e, dependendo de quanto tempo passou desde que você foi exposto a ele, é pouco provável que ainda o esteja transmitindo. Para saber se o vírus ainda está ou não no seu corpo, seria necessário realizar um outro tipo de exame, um teste molecular chamado RT-PCR .

IgM POSITIVO e IgG NEGATIVO = isso significa que seu sistema de defesa está com as linhas de produção a toda velocidade para combater uma infecção recente ou ainda em curso. Pessoas com testes assim devem receber tratamento e manter isolamento, pois são potenciais transmissoras do vírus. Como dito antes: nem todas as pessoas infectadas apresentam sintomas, de maneira que um teste IgM positivo pode ocorrer mesmo que você esteja sentindo nada de anormal. Nestes casos, o ideal é repetir o exame 14-21 dias mais tarde, verificando se a IgG se tornou positiva – significando que você saiu da “janela” de transmissão, podendo retornar às suas atividades habituais sem colocar outras pessoas em risco.

IgM e IgG POSITIVOS = isso significa que seu corpo está combatendo uma infecção pelo covid19 que provavelmente teve início há mais de 14 dias. É recomendável que você receba tratamento e fique em casa. Com um exame assim, mesmo na ausência de sintomas, você pode transmitir o vírus para outras pessoas. Repita o teste após 7-14 dias para verificar se seu IgM negativou e se o IgG continua positivo. Quando isto ocorrer, o retorno às atividades habituais é considerado seguro.

COMO INTERPRETAR OS EXAMES EM PESSOAS COM SINTOMAS?

IgM e IgG NEGATIVOS = isso significa que seu corpo ainda não produziu anticorpos contra o vírus. Se você está experimentando sintomas compatíveis com a doença há MAIS de 7 dias, mas seu exame saiu deste jeito, é pouco provável que você esteja sofrendo de covid19 – talvez seja um gripe por Influenza ou uma pneumonia bacteriana, ou mesmo dengue. O quadro clínico deve ser revisado pelo seu médico e mais exames podem ser necessários. Contudo, se você está tendo sintomas há MENOS de 7 dias, talvez seu corpo não tenha tido tempo de produzir imunoglobulinas em níveis suficientes para detecção pelo exame laboratorial. É recomendável manter o isolamento e repetir a dosagem de IgM e IgG após uma semana. Caso os sintomas estejam típicos e muito intensos, o tratamento para covid19 pode ser iniciado mesmo com testes sorológicos negativos.

IgG POSITIVO e IgM NEGATIVO = isso significa que seu organismo produziu anticorpos contra o vírus e provavelmente você está entrando na fase de resolução da infecção, mas ainda pode transmitir o vírus para outras pessoas. É recomendável manter isolamento por mais 14 dias para minimizar a chance de espalhar a doença.

IgM POSITIVO e IgG NEGATIVO = isso significa que seu organismo está produzindo anticorpos na fase mais aguda da infecção e você pode transmitir o vírus para outras pessoas. É indicado tratamento e isolamento por pelo menos 14-21 dias.

IgM e IgG POSITIVOS = isso significa que seu corpo está combatendo uma infecção pelo covid19 que provavelmente teve início há mais de 14 dias. Uma vez que você pode transmitir o vírus para outras pessoas nesta fase, é recomendável que você receba tratamento e fique em casa, repetindo o teste após 7-14 dias para verificar se seu IgM negativou e se o IgG continua positivo. Quando isto ocorrer, o retorno às atividades habituais é considerado seguro.

A REALIDADE PARA ALÉM DOS LIVROS E A IMUNIDADE DE LONGO PRAZO

Todas as recomendações acima são um resumo da literatura médica mais recente. Todavia, é importante lembrar que a pandemia de covid19 é uma “novidade”, e os intervalos entre o contato com o vírus e o início dos sintomas, as curvas de produção de IgG e IgM, a resolução da infecção e o tempo que você permanece como transmissor do vírus ainda não foram determinados com 100% de certeza.

Os testes sorológicos (dosagens de anticorpos) para covid19 são imperfeitos, e até mesmo o moderno exame de RT-PCR possui um índice de falso-negativo de 30%.

Boa parte dos dados disponíveis sobre o covid19 são extrapolações de estudos realizados para outras epidemias de SARS.

Após a epidemia de SARS de 2003, os sobreviventes mantiveram bons níveis de anticorpos por 2 anos. Outros coronavírus em circulação (OC3 e HKU1) também induzem uma imunidade razoável (ou pelo menos parcial) pelo mesmo período de tempo, mas estes dados ainda não estão disponíveis com exatidão para o covid19.

Acredita-se que, quanto mais doente você ficar, mais robusta será a resposta do seu sistema de defesa e mais sólida será sua Memória Imunológica, conferindo proteção contra reinfecções pelo mesmo vírus – pelo menos esta é a teoria que envolve a pandemia atual.

O que se viu até aqui é que as pessoas com quadros clínicos mais leves tendem a não produzir níveis duradouros de imunoglobulinas – cerca de 30% delas de fato produzem níveis bem baixos. Isso significa que elas apresentam risco de se contaminar novamente pelo covid19, mas, felizmente, os sintomas da infecção tendem a ser tão leves quanto da primeira vez, com baixo risco de morte.

____

Referências:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7184973/

https://www.sbmfc.org.br/wp-content/uploads/2020/04/Acur_cia_dos_testes_para_COVID_19_1586558625.pdf.pdf

http://portal.anvisa.gov.br/documents/219201/4340788/Perguntas+e+respostas+-+testes+para+Covid-19.pdf/9fe182c3-859b-475f-ac9f-7d2a758e48e7

Deixe uma resposta