ESQUERDISMO É ANTIGUISMO EM SUA PIOR VERSÃO

0
215

A genética que condiciona o sentimento Coletivista é tão ancestral quanto nossas primeiras fogueiras Paleolíticas.

Mais modernamente, a saudade da significância daquelas pequenas e homogêneas sociedades de caçadores-coletores ressurgiu nos dogmas da Esquerda, e isto explica o paternalismo opressor com que socialistas e comunistas abordam a civilização e sua enorme dificuldade para reconhecer as interconexões entre os agentes individuais, os processos sociais e as instituições de um mundo que se tornou assustadoramente mais complexo que um acampamento nômade às margens de um rio.

O corpo físico do Homo sapiens não mudou muito nos últimos 100 mil anos, mas nossa cultura sofreu transformações extraordinárias, e os valores Coletivistas de outrora se tornaram insuficientes para atender às demandas de 8 bilhões de Identidades Pessoais.

Admiravelmente, Progressistas, Socialistas e Comunistas parecem imunes à assimilação desta observação que deveria ser trivial.

Os Esquerdistas enxergam as pessoas como fundamentalmente incapazes, necessitando uma boa dose de engenharia social, planificação econômica e centralização de comando para que elas deem certo. Por isso, não admira que sua pregação dogmática dissemine uma Moralidade perversa incitadora de discriminação, divisão, exclusão, acomodação e terceirização das responsabilidades. Levada ao máximo, esta agenda garante a ocorrência de revoluções e tiranias desumanas.

Os Esquerdistas gostam de insistir que sua doutrina não precisa incluir uma teoria econômica peculiar, uma Ética congruente, uma epistemologia bem fundamentada, ou mesmo uma metafísica redentora. “A sociedade já está cheia de coisas assim – nós somos algo mais!”, eles dizem, sorrindo e sabendo que, sem definições desta natureza, sem assumir suas idiossincrasias com todas as letras, poderão abraçar os casos de sucesso dizendo-os seus, e descartar as atrocidades dizendo-as dos outros. “Isto nunca foi Progressista, ou Socialista, ou Comunista”, protestarão ao menor sinal de água no barco.

Consequentemente, o grande inimigo do Esquerdismo não é o Conservadorismo, mas a boa e velha ganância por poder, a tendência para oligarquias partidárias hereditárias, a autonegação, a corrupção, o cunhadismo e o alinhamento com regimes totalitários violadores dos Direitos Humanos.

Como resultado da inexistência de autocrítica nas ideologias de Esquerda, enquanto algumas pessoas continuarem confiando na criatividade dos Coletivistas para arquitetar nossa salvação, a penúria financeira, o desajuste Moral, a popularização de narrativas mentirosas e a tirania seguirão sendo a norma do dia, e qualquer possibilidade de mudança será apenas uma miragem em um deserto de ingenuidades áridas.

__________
Fonte: https://www.amazon.com.br/ESQUERDA-Sistemas-Regimes-Valores-ManhoodBrasil-ebook/dp/B07SCXZ28Q

Deixe uma resposta