O ALZHEIMER, A COVID19 E UMA DÚVIDA

4
8752

Em 2019, Alzheimer & Demências (Alz&D) foram a 7a causa mais comum de morte no mundo todo (1).

a1

Alzheimer & Demências realmente são um fardo pesado: cada 3 segundos, alguma pessoa no mundo desenvolve demência (sem piadinhas sobre esquerdistas que o assunto aqui é sério, pow!): enquanto você está lendo este parágrafo, 1 novo caso de demência irá aparecer em algum lugar deste planeta. No mundo todo, pelo menos 50 milhões de pessoas estão sofrendo com Alz&D  e os custos econômicos desses pacientes ultrapassam 1 trilhão de dólares / ano (2).

Além disso, Alz&D são letais: Em 2015, Alz&D vitimaram + de 200 mil homens e 450 mil mulheres no mundo todo. Em 2030, estima-se que a soma destas mortes ultrapasse 1 milhão de óbitos (3).

Então Alzheimer & Demências são um desafio imenso! E os laboratórios vêm investindo pesado para descobrir um tratamento para isso. Infelizmente, os resultados têm sido lentos: em 2021, após mais de 20 anos sem novidades, finalmente um novo tratamento para Alzheimer foi lançado: um anticorpo monoclonal teoricamente capaz de reduzir a formação de placas amilóides no cérebro (características da doença e responsáveis pelos sintomas) (4).

O remédio recebeu aprovação do FDA, mas apenas com a condição de que fossem realizados mais pesquisas (testes clínicos de fase 4). Isso significa que o remédio será fornecido para algumas pesquisas e seus efeitos serão criteriosamente monitorados durante um período de tempo (4).

Vale observar aqui que, apesar da liberação “parcial”, a fabricante do remédio – Biogen – comemorou o parecer: após o anúncio do FDA, as ações da empresa chegaram a subir 60% em 1 único dia! Isso dá uma grana danada, fique sabendo (5).

Pois bem. Os primeiros casos de Covid19 foram registrados em Wuhan em novembro de 2019 . APENAS 1 ANO DEPOIS, em 11.12.2020, o FDA liberou uma autorização emergencial para o uso de uma vacina contra Covid19. Em 10.05.2021, a vacina (da Pfizer-BioNTech) foi liberada inclusive para uso em pessoas a partir dos 16 anos de idade (6,7).

Isso significa que, em média, os laboratórios conduziram MENOS DE 1 ano de pesquisas em suas vacinas antes de considerá-las “seguras”: “os benefícios compensam os riscos”, afirmaram diversas indústrias farmacêuticas. A Pfizer, p.ex., afirmou que resultados preliminares sugerem que sua vacina funciona e parece ser segura para pessoas com mais de 12 anos de idade (8,9).

Como consequência desta corrida maluca, mais de 1,7 bilhões de doses de vacinas contra Covid19 foram aplicadas no mundo todo apenas nos primeiros 6 meses de 2020.

Agora me explica aqui:

De um lado, temos uma doença como o Alzheimer, conhecida há décadas, afetando MILHÕES DE PESSOAS no mundo todo e causando centenas de milhares de mortes anualmente, e que tem sido submetida a investimentos pesados de pesquisa. Esta doença levou VINTE ANOS para ter um novo tratamento “parcialmente” autorizado para uso (mais avaliações de segurança e eficácia serão necessárias para uso amplo).

Do outro lado, temos a Covid19, uma doença conhecida há menos de 2 anos, com vacinas desenvolvidas há 1 ano, mas que já conseguiram provar sua “segurança e eficácia” acima de qualquer nível razoável de dúvida, a ponto de imunizantes com tecnologias diversas (algumas delas JAMAIS testadas em larga escala em humanos) terem sido aplicados em massa em vários países.

Se você não percebe uma discrepância entre os passos lentos para o Alzheimer e a velocidade da luz para as vacinas contra Covid19, se algo não lhe parece precipitado neste quadro e, quem sabe, até mesmo suspeito, eu não posso fazer muita coisa pela sua cegueira. Mas isso não me impede de lhe desejar sorte. Você certamente irá precisar.

 

____________

Referências:

1. https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/the-top-10-causes-of-death

2. https://www.brightfocus.org/alzheimers/article/alzheimers-disease-facts-figures#:~:text=Though%20the%20degree%20of%20underreporting%20varies.&text=A%20recent%20study%20found%20the,deaths%20in%20the%20United%20States.

3. https://www.dementiastatistics.org/statistics/deaths-due-to-dementia/

4. https://www.theguardian.com/society/2021/jun/07/fda-announce-decision-new-alzheimers-drug-aducanumab

5. https://www.cnbc.com/2021/06/07/fda-approves-biogens-alzheimers-drug-the-first-new-therapy-for-the-disease-in-nearly-two-decades.html

6. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7646031/

7. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33683637/

8. https://www.ema.europa.eu/en/news/first-covid-19-vaccine-approved-children-aged-12-15-eu

9. https://www.nature.com/articles/d41586-021-00890-7

10. https://www.nature.com/articles/d41586-021-01505-x

4 COMENTÁRIOS

  1. Ótimo texto e reflexão. Apenas para ponto de correção, no texto antes do gráfico da quantidade de vacinas aplicadas por país, o ano indicado no texto refere-se a 2020, mas, o correto seria “nos primeiros seis meses de 2021”. Certo? Favor verificar. Um abraço!

Deixe uma resposta