A MENTALIDADE DE ESQUERDA E DE DIREITA: COMO ÁGUA E ÓLEO

0
379

No livro “The Righteous Mind: Why Good People are Divided by Politics and Religion” (2012), o psicólogo estadunidense Jonathan Haidt apresentou resultados curiosos de seus estudos sobre como funciona a mente de pessoas de Direita e de Esquerda.

Segundo a teoria proposta por Haidt, nossas convicções se apoiam em Fundamentos Morais que, por sua vez, podem ser separados em uma matriz de seis “eixos diádicos”:

1 – Cuidado / Dano

2 – Justiça / Trapaça

3 – Liberdade / Opressão

4 – Lealdade / Traição

5 – Autoridade / Subversão

6 – Santidade / Degradação

Pessoas de Esquerda tendem a dar um grande valor aos pilares 1 e 2, interpretando a díade “Cuidado / Dano” como “proteger os desfavorecidos”, e interpretando a díade “Justiça / Trapaça” como “diminuir as desigualdades”.

Pessoas de Direita tendem a dar um grande valor aos pilares 5 e 6, interpretando “Autoridade / Subversão” como “obediência à tradição e à autoridade constituída”, e interpretando “Santidade / Degradação” como “comportamentos alinhados à vontade de Deus”.

Assim, pessoas que tendem a encarar a Moralidade principalmente através do prisma “Cuidado / Dano” e “Justiça / Trapaça”, tendem a ser de Esquerda. E pessoas cuja Moralidade é guiada principalmente pela bússola “Autoridade / Subversão” e “Santidade / Degradação” tendem a ser de Direita.

Mas a grande sacada do livro de Haidt não foi esta. Ele foi além:

Através de minuciosas experimentações sociais, psicológicas e culturais, Haidt descobriu que os fundamentos Morais de Esquerdistas e Direitistas não são apenas distintos. Eles são dramaticamente diferentes!

De acordo com os testes realizados, Haidt percebeu que a matriz Moral esquerdista em geral lida com apenas UM aspecto de cada díade. A matriz Moral de Direita, por outro lado, é capaz de lidar com AMBOS os aspectos de cada díade. E isso tem consequências práticas e estratégicas alarmantes.

Pessoas de Direita, Conservadoras, são capazes de entender e se relacionar com o modo como os esquerdistas elaboram seus raciocínios Morais, mas o inverso NÃO É verdadeiro.

Ao restringir o pensamento a apenas um lado de cada díade, os esquerdistas desenvolvem mentes incrivelmente “fechadas em si mesmas”, e por isso com frequência se tornam vítimas de suas próprias incongruências. Eles simplesmente não possuem habilidade cognitiva suficiente para enxergar o “todo” à sua volta.

Por exemplo:

Se um esquerdista vê uma abelha sendo “oprimida” na colmeia, ele prontamente arruma uma passeata para obter justiça para aquela abelha. Um direitista, vendo uma situação idêntica, também age movido pelo mesmo desejo, mas procura uma solução capaz de contemplar simultaneamente a sobrevivência da abelha e da colmeia como um todo.

Quando há uma situação de conflito, os esquerdistas erram por sempre colocar as instituições do Estado em risco; e os direitistas, por tentar proteger essas mesmas instituições a todo custo.

No final, a mentalidade de Direita leva vantagem: todo mundo com um mínimo de humanidade se preocupa em cuidar do outro, aliviar o sofrimento e diminuir a injustiça. Mas os direitistas abordam essas situações munidos da crença de que é fundamental preservar as bases da sociedade para que qualquer solução seja legítima e ética.

Em contrapartida, para implantar seus “projetos”, os esquerdistas não se importam em detonar valores como as tradições, a família, o Estado de Direito, a separação dos poderes ou a liberdade religiosa. Eles estão presos a raciocínios que só incluem UM LADO das díades Morais.

E este é o cenário que enfrentamos atualmente no país.

Não tem sido fácil, mas se a Natureza mostrou alguma coisa foi que, entre uma abelha e uma colmeia, a colmeia derradeiramente prevalece.

Sejamos resilientes. O Tempo e a Verdade were always Right.

Deixe uma resposta