GENTILI, DIMENSTEIN E O SEU E O MEU DINHEIRO

0
906

Em 2017, Danilo Gentili foi condenado a pagar R$1.000 a Gilberto Dimenstein por postar em redes sociais “mensagens que desabonavam” o jornalista, responsável pelo site Catraca Livre.

Em setembro de 2018, terminada a primeira fase do processo, saiu a sentença, com uma reviravolta: a magistrada responsável pelo caso entendeu que Gentili estava dentro de seu direito à Liberdade de Expressão. Como o processo encontra-se transitado em julgado, não cabe mais recurso.

Em sua decisão, a Dra. Gisele Valle Monteiro da Rocha inocentou o réu Danilo Gentili, e condenou o Jornalista Gilberto Dimenstein a pagar as custas processuais e honorários ao vencedor da contenda. Vencido e injuriado, Dimenstein segue atacando Gentili nas redes sociais – e tem recebido, em troco, doses extras do humor ácido de Danilo.

Vale lembrar que Dimenstein é um conhecido promotor das agendas de esquerda, tendo recebido como gratificação por seus serviços repetidos financiamentos do governo via Lei Rouanet.

Segundo o sistema do Ministério da Cultura, entre 2011 e 2015, duas empresas que apresentam Dimenstein como sócio-administrador receberam cerca de 2 milhões de reais em “doações”. Um projeto de “jornalismo comunitário” recebeu mais de R$458 mil da concessionária do sistema Anhanguera / Bandeirantes AS.

A publicação “A Democratização Cultural e o Incentivo às Ações Locais” recebeu outros R$ 364 mil da Votorantim Cimentos Ltda como incentivo à divulgação.

Finalmente, o próprio site CatracaLivre recebeu dos cofres públicos mais de R$ 700 mil captados por doações do Banco Itaú e de duas empresas concessionárias de rodovias controladas pelo grupo Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez.

A Camargo Corrêa assumiu em justiça a participação em um esquema de fraudes e formação de cartel em 21 licitações que ocorreram em 7 Estados e no DF em um período de 16 anos. Como resultado, o juiz Sérgio Moro – agora Ministro da Justiça – condenou vários executivos da empresa a mais de 15 anos de prisão por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa.

Em 2017, quatro executivos da Andrade Gutierrez e o ex-diretor da Petrobrás Renato Duque foram condenados por corrupção e lavagem de dinheiro.

É de fontes assim que vem a grana preta que sustenta o CatracaLivre do Sr. Dimenstein. É com seu dinheiro, meu dinheiro, nosso dinheiro que o CatracaLivre anti-Bolsonaro se sustenta.

Felizmente, os tempos estão mudando. E o Sr. Dimenstein vai ter que colocar a mão no bolso para pagar o processo que perdeu para o Sr. Gentili. Infelizmente, irá tirar do bolso o mesmo dinheiro que jamais deveria ter ido parar ali – o dinheiro dos pagadores compulsórios dos impostos que financiam o Estado que deveria agir para nossa Segurança, Liberdade e Prosperidade.

__________
Fontes:

https://emais.estadao.com.br/noticias/gente,danilo-gentili-e-condenado-a-indenizar-jornalista-por-ofensa-no-facebook,70001821697

https://www.justicaemfoco.com.br/desc-noticia.php?id=133360&nome=danilo_gentili_vence_de_uma_vez_por_todas_gilberto_dimenstein_na_justica

https://folhapolitica.jusbrasil.com.br/noticias/431797432/catraca-livre-recebeu-r-2-milhoes-via-lei-rouanet-na-era-dilma

Camargo Corrêa confessa fraudes em metrôs e monotrilhos de 7 Estados e DF

Executivos da Camargo Corrêa são condenados a mais de 15 anos de prisão

Juiz da Lava Jato condena Duque e executivos da Andrade Gutierrez

 

 

Deixe uma resposta